Criatividade, inovação e persistência para superar a Cri$e

  “Viver e não ter a vergonha de ser feliz, cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz…”, grande inspiração do músico Gonzaguinha, realmente a vida é bonita. Apesar dos problemas que aparecem no caminho e servem para fortalecer o individuo em uma próxima superação de obstáculo. O ano de 2016, vem apresentando dificuldades em vários setores, principalmente o de serviços e no comércio, com lojas fechando, funcionários demitidos e empresários com a “cabeça quente”. A incerteza tomou conta do país e alguns futuros candidatos a empreendedores estão recuando com seus projetos profissionais, sem falar dos autônomos e profissionais liberais que viram seus clientes diminuírem, e a sua receita cair pela metade. Será que a solução é mesmo cruzar os braços e aguardar a crise passar? Acredito que não. Como disse certa vez o baiano Nizan Guanaes: “numa crise, enquanto outros choram, eu vendo lenço”. Essa simples frase foi criada para um anúncio no inicio da década de 90, quando o governo Collor, confiscou a poupança de muitos brasileiros, inclusive a do próprio publicitário que acabara de abrir uma agência publicitária e poderia naquele momento desistir dos seus projetos. Ao invés de você se concentrar nos problemas ou nas dificuldades: pare, observe, pense, planeje e execute sua SOLUÇÃO. Sim, nessa crise os que resmungam e nada fazem estão ficando para trás. Agora é a hora de pôr sua criatividade no mercado e inovar para a sobrevivência do seu negócio, independente da sua atividade, seja autêntico e apresente seus diferenciais para se destacar no meio da multidão. O dinheiro não sumiu do mercado, a inflação é que vem diminuindo o poder de compra e o consumidor por sua vez, está apenas direcionando com mais cautela para não comprometer ainda mais a sua renda. A recomendação para o empresário é a de: ajustar as despesas, cortar os desperdícios, investir em inovações e rever a sua margem de lucro para praticar o preço justo. Lembre-se, todos precisam consumir bens e serviços em determinado momento, e evidentemente a procura será por valores compatíveis com a sua renda. E o recomendado ao futuro candidato a empreendedor é de: estudar o mercado, se preparar estruturando e planejando o seu projeto para criar o momento ideal da execução do seu empreendimento. Portanto, é chegada a hora de todos começarem a vender lenços porque a vida é bonita é bonita. Até o nosso próximo artigo. Edval Landulfo, Economista, Educador Financeiro e Palestrante Artigo publicado no jornal Ei, Táxi Março 2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *